Adriana Varejão – Por uma retórica canibal

“Quadro ferido” (1992) é uma das primeiras obras de Adriana Varejão nas quais comparece o seu interesse fecundo pelo encontro entre Brasil e China. Tendo como inspiração um pergaminho chinês do século XI, aproxima índios e negros do Brasil colonial de personagens chineses habitantes da longínqua Dinastia Song (900-1200). O trabalho faz parte da exposição “Adriana Varejão – Por uma retórica canibal”, que vai ser aberta no dia 16 de abril em Salvador, no Museu de Arte Moderna da Bahia (MAM-BA).

Adriana Varejão – Por uma retórica canibal
Foto: Eduardo Ortega

Um dos nomes mais respeitados das artes visuais do Brasil, Adriana Varejão terá pela primeira vez um conjunto significativo de sua obra exposto em Salvador. “Adriana Varejão – Por uma retórica canibal” é a mostra itinerante que circulará neste ano em cidades brasileiras fora do eixo Rio-São Paulo, começando pela capital baiana, onde será aberta no dia 16 de abril, às 19h30, no Museu de Arte Moderna da Bahia (MAM-BA), tendo visitação gratuita que se prolonga por dois meses, até 15 de junho. Com curadoria de Luisa Duarte, a exposição faz parte de um projeto que pretende descentralizar o acesso à importante produção da artista carioca, exibindo 20 obras dos seus mais de 30 anos de trajetória, realizadas entre 1992 e 2016. Trata-se de um conjunto significativo de sua produção, que inclui trabalhos seminais como “Mapa de Lopo Homem II” (1992-2004), “Quadro Ferido” (1992) e “Proposta para uma Catequese”, em suas Partes I e II (1993).
Para pensarem em conjunto a exposição, no próprio dia 16 de abril, às 16h, Adriana Varejão, junto com Luisa Duarte, se une ao artista visual baiano Ayrson Heráclito e à antropóloga paulista Lilia Schwarcz, referências dos estudos da história e cultura afro-brasileiras, para uma conversa pública, também gratuita, no Museu de Arte da Bahia (MAB). Ambos os museus, vinculados ao Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (IPAC) e Secretaria de Cultura do Governo do Estado da Bahia (SecultBA), são parceiros nesta realização.

Conversa
Com: Adriana Varejão, Ayrson Heráclito, Lilia Schwarcz e Luisa Duarte
No Museu de Arte da Bahia (MAB)
Quando: 16 de abril de 2019, 16h
Entrada gratuita | Sujeita à lotação

Adriana Varejão – Por uma retórica canibal
Curadoria: Luisa Duarte
No Museu de Arte Moderna da Bahia (MAM-BA)
Abertura: 16 de abril de 2019, 19h30
Visitação: 17 de abril a 15 de junho de 2019, terça a sábado, 13h às 18h
Entrada gratuita

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *