Museu Udo Knoff valoriza a tradição da cerâmica na Semana de Museus

O  Museu Udo Knoff de Azulejaria e Cerâmica (Pelourinho) está com programação especial para a 17ª Semana Nacional de Museus que acontece entre os dias 13 a 19 de maio.

Neste período, os museus administrados pelo Instituto do Patrimônio Cultural da Bahia (IPAC) participam da temporada cultural promovida pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) em comemoração ao Dia Internacional de Museus (celebrado oficialmente em 18 de maio) que traz o tema “Museus como Núcleos Culturais: o Futuro das Tradições”. Para dialogar com este tema, os museus IPAC vão trabalhar “A Cultura do Sertão da Bahia nos Museus do IPAC”.

“O sertão da Bahia apresenta diversas manifestações culturais que contribuem para formação da identidade das comunidades, como a corrida da argolinha, festa de vaqueiros, terno de reis, toque de sanfona, bandas de pífanos, rezadeiras, benzedeiras e a produção de artesanatos, da literatura de cordel, da cerâmica, da palha, da folha de bananeira e a forte tradição e cultura da mandioca. Assim, cada unidade museológica propõe trabalhar dentro dessa temática e de seus acervos formas de valorizar, comunicar e atrair o público. Sendo um museu de cerâmica e azulejaria, o Museu Udo Knoff escolheu explorar a produção cultural da cerâmica tradicional da Bahia”, explica a coordenadora do museu, Renata Rosa Alencar que elaborou a programação com as museólogas Etiennette Bosetto e Lorena Ribeiro.


Mostra “Retalhos do Sertão” na Semana de Museus Dimus/Ipac

A abertura da Semana de Museus Dimus/Ipac acontece de forma coletiva, em 14/5, nos museus localizados no Pelourinho, tendo inicio às 14h no Museu Udo Knoff de Azulejaria e Cerâmica com a abertura da exposição “Mostra Cultural: Saberes e Sabores de Irará”, apresentando exposição de cerâmica tradicional, fotografias de Lucy Anunciação e telas de João Martins. A abertura contará com a presença do ceramista Francisco Moreira e Maria do Carmo Morira que vão demonstrar ao público o processo de confecção passo a passo da cerâmica iraraense. Em cartaz no museu até agosto.

A “Mostra Cultural: saberes e sabores de Irará” é uma proposta a ser executada pelas curadoras Bernadete Anunciação e Lucy Anunciação e tem como propósito exaltar o trabalho desenvolvido pelas ceramistas e produtores rurais da região de Irará, que com sua arte e trabalho fortalecem a economia criativa dessa localidade e do estado da Bahia. Essa visibilidade irá fortalecer e valorizar uma das mais importantes regiões produtoras de farinha e de cerâmica tradicional do Estado.

“Extrair na natureza o barro e prepará-lo para modelar, pintar e assar as peças são resultado de um saber que se transmite de geração a geração. Esse processo, além de gerar renda, marca a cultura de uma comunidade que se identifica nos objetos que cria”, informa Lucy Anunciação.

Além da exposição, está prevista a realização (em paralelo) de uma “Feira Cultural de Irará” onde serão comercializados produtos da região de Irará. A programação da feira conta ainda com música, artes visuais, fotografia e a gastronomia regional da mandioca, com muito beiju, mingaus e similares. A feira acontece em 18/5 (das 10h às 22h) e 19/5 (das 10h às 15h) na Praça Tereza Batista, sendo que no sábado (18/5) será cobrada uma taxa de R$ 15 a partir das 18h para aqueles que quiserem prestigiar os diversos shows que irão acontecer no local. “Esta é a terceira feira cultural de Irará”. É uma produção coletiva que tem o intuito de reunir arte, gastronomia, música e exposições em um só lugar”, acrescenta Bernadete Anunciação.

Durante a feira acontece a apresentação do Samba de Roda, Charanga de Irará, participação do músico e compositor iraraense Nilson Aquino (samba de roda e cordel da cidade), Del Feliz, apresentação do músico Fernando Barreto e participação do grupo da Terceira Idade do Ponto de Cultura Associação Cultural Liberdade e Barra (ACLB). Além disso, grupos de mulheres artesãs tradicionais trarão suas peças para comercialização durante a feira que também sedia bate-papo com os mediadores da instituição para instrução sobre os conteúdos temáticos da exposição; palestras sobre empreendedorismo para a comunidade; workshop de fotografia etc.

A cidade – Irará é um município que fica a 130 km ao norte de Salvador. Lá, nas comunidades de Lajes, Mangueira e Caboronga, concentram-se os produtores de louça de barro. São artesãos que modelam com suas mãos as formas dos porrões, potes, caborés, panelas, travessas e muitos outros objetos. A cidade de Irará também se destaque na culinária da mandioca, que é muito rica em seus derivados. Os produtos são comercializados nas feiras locais e nos eventos realizados no município e regiões adjacentes dos portais e territórios.

O Museu – O Museu Udo Knoff de Azulejaria e Cerâmica (Pelourinho) dispõe de dois ambientes ocupados por materiais referentes à arte da cerâmica e do azulejo. A área inferior expõe as peças criadas pelo ceramista Udo Knoff – idealizador do museu -, além de proporcionar uma visão cronológica da existência do azulejo disposta do século XV ao XX, incluindo sua chegada ao Brasil, no século XVII. O museu integra os espaços administrados pela Diretoria de Museus do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (DIMUS/IPAC), da Secretaria de Cultura do Estado (SecultBA). Visitação: terça a sexta, das 10h às 17h; sábado das 13h às 17h. Entrada: grátis. Endereço: Rua Frei Vicente, 03, Pelourinho, Salvador/BA. Telefone: (71) 3117-6389.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *