Valorização das Matrizes do Forró e Festas Juninas da Bahia

A Assembleia Legislativa da Bahia dará uma importante contribuição para que o Forró seja reconhecido como Patrimônio Cultural Imaterial do Brasil. Isso porque será realizada na próxima terça-feira (14), às 10h, uma sessão especial no plenário da Casa proposta pela presidente da Comissão de Educação e Cultura, deputada Fabíola Mansur (PSB), para discutir sobre a valorização das Matrizes do Forró e Festas Juninas da Bahia.

De acordo com a deputada Fabíola Mansur, um dos objetivos é fazer força política pela celeridade na tramitação do processo de registro que reconhece as matrizes do Forró como patrimônio imaterial brasileiro junto ao Instituto do Patrimônio Histórico, Artístico e Cultural Nacional (IPHAN). A sessão terá participação de diversos artistas forrozeiros da Bahia, dançarinos, artesãos, quadrilhas juninas, além de representantes do Governo do Estado, IPHAN, IPAC, da Frente Parlamentar em Defesa das Matrizes do Forró, de associações de músicos e o Fórum Nacional Forró Raiz.

“As matrizes do forró precisam passar por esse processo de reconhecimento. O Forró é um dos gêneros mais disseminados no país e faz parte da formação da identidade cultural do povo brasileiro. E nós da Bahia, celeiro dos melhores artistas, que temos o maior São João do Brasil precisamos fortalecer essa luta. É pelo reconhecimento cultural, mas também pela valorização econômica dos forrozeiros e de todos agentes que fazem o forró ser o que é”, argumenta Fabíola Mansur.

A parlamentar explica ainda que a sessão especial vai discutir sobre o cumprimento da chamada Lei da Zabumba (Nº 13.368/2015), que determina que 60% das contratações feitas com recursos do Estado sejam destinadas a artistas que garantam a característica específica da festa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *