Orquestra Afrosinfônica e Arnaldo Antunes abrem a FLIPELÔ no Largo do Pelourinho em show gratuito

O show performance poética de Arnaldo Antunes que aconteceria no Teatro SESC-SENAC Pelourinho, devido ao enorme interesse do público, foi transferido para o Largo do Pelourinho e acontece às 19h, sendo o primeiro evento da FLIPELÔ 2019. Logo em seguida sobe ao palco montado no Largo, o Poema Sinfônico para Castro Alves criado especialmente para festa pela Orquestra Afrosinfônica, que contará com intervenções do ator Jackson Costa e a projeção mapeada do artista Gabiru.
7/8 – Quarta-feira

ABERTURA OFICIAL
LARGO DO PELOURINHO – 19h

Performance poética

Pelo(ô) Protagonismo Para Palavra Plástica Poética Popular

Arnaldo Antunes

Márcia Xavier

Arnaldo Antunes explora, nesta performance, inúmeras possibilidades rítmicas e entoativas da linguagem poética — fala, berra, canta, entoa ou sussurra seus poemas, acrescentando, com esses recursos vocais, múltiplas sugestões de sentidos que dialogam com os poemas em si. Usa também efeitos e processamentos de sua voz ao vivo, além de improvisar sobre algumas bases de vozes pré-gravadas. Em algumas peças, Arnaldo sampleia sua própria voz, sequenciando várias camadas de loops, que se sobrepõem enquanto vão sendo executados. O resultado são ambientes sonoros variados, onde a palavra protagoniza a cena. A artista plástica Márcia Xavier projeta ao vivo imagens que somam significados aos poemas. Arnaldo também utiliza alguns objetos (um globo luminoso, fósforos, letras de metal, cartazes, etc) em sua ação, interagindo com cada um deles enquanto executa os poemas.

Sobre Arnaldo Antunes – Poeta, cantor e compositor, nasceu em São Paulo em 1960. Integrou o grupo Titãs, com o qual gravou sete discos. Em carreira solo desde 1992, já lançou os discos Nome, Ninguém, O Silêncio, Um Som, O Corpo (trilha para espetáculo de dança do Grupo Corpo), Paradeiro, Saiba, Qualquer, Ao Vivo no Estúdio, IêIêIê, Ao Vivo Lá em Casa, A Curva da Cintura, Acústico MTV, Disco e Já É, Ao Vivo Em Lisboa e RSTUVXZ, além de Tribalistas (com Marisa Monte e Carlinhos Brown) e Pequeno Cidadão (projeto infantil com Edgard Scandurra, Taciana Barros, Antônio Pinto e seus filhos). Tem vários livros publicados no Brasil (entre eles Psia, Tudos, As Coisas, 2 ou + Corpos no Mesmo Espaço, 40 Escritos, Como É Que Chama o Nome Disso, N. D. A. e seu último lançamento Agora Aqui Ninguém Precisa de Sí, na Espanha (Doble Duplo) e em Portugal (Antologia).

No momento, Arnaldo está excursionando com o show de seu último álbum.

LARGO DO PELOURINHO – PALCO FLIPELÔ – 20h

Apresentação musical

Poema Sinfônico para Castro Alves

Orquestra Afrosinfônica – Maestro Ubiratan Marques

O Poema Sinfônico Castro Alves é composto pelo repertório da Orquestra e por músicas dedicadas à obra do escritor Jorge Amado. Destacam-se o arranjo inédito para “É Doce Morrer no Mar”, parceria de Dorival Caymmi com o autor do romance “Mar Morto”, e “Maracatu do Congo”, parceria do Maestro com Mateus Aleluia que está sendo gravada para o segundo álbum da Orquestra Afrosinfônica. A obra de Castro Alves ganha vida com os poemas “O Povo ao Poder”, “O Navio Negreiro” e “As Duas Flores” a partir de intervenções do ator Jackson Costa e da projeção mapeada do artista Gabiru sobre a fachada da Fundação Casa de Jorge Amado.

Orquestra Afrosinfônica apresentará o Poema Sinfônico Castro Alves na abertura da FLIPELÔ

A Orquestra Afrosinfônica apresentará o Poema Sinfônico Castro Alves no dia de abertura da 3ª edição da Feira Literária Internacional do Pelourinho. O concerto será realizado às 20h00 do dia 7 de agosto, no Largo do Pelourinho e terá arranjos e regência do Maestro Ubiratan Marques. O Poema Sinfônico Castro Alves é composto pelo repertório da Orquestra e por músicas dedicadas à obra do escritor Jorge Amado. Destacam-se o arranjo inédito para “É Doce Morrer no Mar”, parceria de Dorival Caymmi com o autor do romance “Mar Morto”, e “Maracatu do Congo”, parceria do Maestro com Mateus Aleluia que está sendo gravada para o segundo álbum da Orquestra Afrosinfônica. A obra de Castro Alves ganha vida com os poemas “O Povo ao Poder”, “O Navio Negreiro” e “As Duas Flores” a partir de intervenções do ator Jackson Costa e da projeção mapeada do artista Gabiru sobre a fachada da Fundação Casa de Jorge Amado.

ORQUESTRA AFROSINFÔNICA – A Orquestra Afrosinfônica se expressa a partir de abordagem erudita decorrente de pesquisas sonoras e conceitos intimamente ligados à música afro-brasileira, antes sob forma de arranjos que dialogavam com os ritmos e cantos próprios de cada orixá, os pontos de candomblé, e hoje a partir de composições de poemas sinfônicos. Reunindo 22 músicos e estruturada por piano, percussões popular e sinfônica, naipes de sopro e cordas, e por um coro feminino, essa orquestra leva o conceito “afrosinfônico” às últimas consequências pela consciência do processo cultural da diáspora africana e pelo processo de pesquisa e estudo de repertório, criação de arranjos sinfônicos e expressão que se pretende extrair de cada instrumento.

SERVIÇO

Trabalho: Poema Sinfônico Castro Alves

Artistas: Orquestra Afrosinfônica

Realização: Casa da Ponte Maestro Ubiratan Marques

Dia: 07/08/2019 (quarta-feira)

Horário: 20h

Local: Largo do Pelourinho, Centro Histórico de Salvador

A 3ª edição da Festa Literária Internacional do Pelourinho, a FLIPELÔ 2019,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *