PROGRAMAÇÃO COMPLEXO TEATRO CASTRO ALVES

(sujeita a alterações)

Ingressos podem ser adquiridos na bilheteria do Teatro Castro Alves, nos SACs do Shopping Barra e do Shopping Bela Vista e nos canais da Ingresso Rápido – aplicativo e site.

ACESSE PÁGINA DE VENDAS: https://site.ingressorapido.com.br/tca

SALA PRINCIPAL DO TEATRO CASTRO ALVES

DIA 15, às 20h

MÚSICA: LUCIANO CALAZANS – “CONTRABAIXO ASTRAL”

Batizado pelo jornalista e crítico de música Chico Castro Jr. como “baixista elétrico”, Luciano Calazans coleciona produções, arranjos, aulas, formação de corais, chegando a escrever para orquestra, cameratas e afins. Tem seu nome na ficha técnica de mais de 700 álbuns gravados por dezenas de artistas. Já dividiu o palco com Flávio Venturini, Marisa Monte, Ivete Sangalo, Lenine, Carlinhos Brown, Milton Nascimento, Fafá de Belém, Gilberto Gil, Salif Keita, Stanley Jordan e outros. É diretor musical do Projeto TAMAR, desde 2010, e também atua como arranjador de grandes concertos, como da Orquestra Sinfônica da Bahia (OSBA), do NEOJIBA e da Orquestra Sinfônica de Sergipe. Dentre tudo isto, é dele o primeiro disco de um baixista produzido na Bahia: o “Contrabaixo Astral”, que, em 2020, comemora 15 anos de gravado. O artista então celebra seu aniversário e 30 anos de carreira, fazendo um show ao lado de grandes nomes da música, com a renda revertida para o Núcleo de Apoio a Crianças com Paralisia Cerebral (NACPC).

Quanto: R$ 160 (inteira) e R$ 80 (meia), das filas A a C | R$ 100 (inteira) e R$ 50 (meia), das filas D a P | R$ 80 (inteira) e R$ 40 (meia), das filas Q a Y | R$ 50 (inteira) e R$ 25 (meia), das filas Z a Z11

Classificação indicativa: Livre

DIA 19, às 11h

MÚSICA: DOMINGO NO TCA – JULIANA RIBEIRO – “PRETA BRASILEIRA”

A primeira edição do Domingo no TCA em 2020, 14º ano do projeto, tem motes especiais: a cantora Juliana Ribeiro celebra seus 20 anos de carreira e faz o pré-lançamento do álbum “Preta Brasileira”. O show revela o lado compositora da artista e é resultado de um trabalho de pesquisa minucioso sobre as matrizes afro-brasileiras. Expressões artísticas como música, teatro e poesia se cruzam para traçar a trajetória musical destas duas décadas. Nesta prévia de lançamento, Juliana apresenta quatro canções com sua assinatura, dentre as quais “Ella”, um chula-jazz, e “Dragão de Gaudí”, contando as etapas de um relacionamento a dois. Além disso, também integram o set list músicas como “Pra matar preconceito”, de Marina Iris e Nina Rosa, “Maria da Vila Matilde”, de Elza Soares, e “Mulher: pessoa que fala”, presente de Roque Ferreira para Juliana. A eterna sambista Clementina de Jesus é homenageada em “Rainha da Ginga”. O Domingo no TCA é uma iniciativa do Teatro Castro Alves, Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb) e Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA).

Quanto*: R$ 1,00 (inteira) e R$ 0,50 (meia)

Vendas somente no dia, a partir de 9h, com acesso imediato do público.

Classificação indicativa: Livre

DIA 22, às 19h

CERIMÔNIA: OLODUM – TROFÉU UJAAMA – FEMADUM 2020

O Troféu Ujaama é uma honraria criada pelo Olodum em 1986, para premiar personalidades, negras ou não, por destacada contribuição à defesa, preservação e promoção da cultura e das tradições afrobrasileiras. Representa o reconhecimento do Olodum às instituições e pessoas que se destacam na luta de combate ao racismo e de todas as formas de discriminação, bem como pela defesa dos direitos humanos e civis dos africanos e seus descendentes. É ainda, uma forma de homenagear personalidades que, ao longo de suas trajetórias profissionais, têm contribuído com o desenvolvimento científico e tecnológico da humanidade, imprimindo aos seus conhecimentos, descobertas e inventos/criações um corte étnico-racial. Em 2020, o Femadum terá como tema “Navigum Izidis” e o desfile do Bloco Olodum no carnaval será “Mãe, Mulher, Maria Olodum – Uma história das mulheres”. Por isso, o Troféu Ujaama será entregue exclusivamente para mulheres, para o fortalecimento da luta contra a violência em geral, contra o feminicídio em especial e para a valorização e empoderamento feminino.

Quanto: Evento para convidados

DIA 23, às 21h

MÚSICA: João Bosco, Mônica Salmaso e Ivan Lins – “HOMENAGEM A ELIS”

Inédita homenagem a uma das mais lembradas cantoras brasileiras, Elis Regina, reunindo João Bosco, Mônica Salmaso e Ivan Lins. João Bosco é compositor de canções gravadas por Elis, como “O bêbado e a equilibrista”, “Corsário” e “Rancho da goiabada”, por exemplo. Monica Salmaso é premiada cantora brasileira, citada pelo New York Times, em 2002, como um dos principais nomes recentes da MPB. Ivan Lins completa o trio: cantor e compositor consagrado com as músicas que a “Pimentinha” também gravou e tornaram-se grandes sucessos, a exemplo de “Corpos”, “Madalena” e “Cartomante”.

Quanto: R$ 200 (inteira) e R$ 100 (meia), das filas A a P | R$ 150 (inteira) e R$ 75 (meia), das filas Q a Z8 | R$ 100 (inteira) e R$ 50 (meia), das filas Z9 a Z11

Classificação indicativa: 14 anos

DIA 24, às 21h

MÚSICA: TITÃS TRIO ACÚSTICO

Depois de lançar CD e DVD da primeira ópera rock brasileira, “Doze Flores Amarelas”, e enquanto organizam a turnê da ópera, bem como mantêm na estrada o show “Elétrico”, os Titãs encontram tempo para realizar tardiamente o desejo de fãs que exigem, desde 2017, uma comemoração pelos 20 anos do clássico “Titãs Acústico MTV”. Lançado em 1997, o álbum foi um projeto de extraordinário sucesso, um fenômeno com mais de dois milhões de cópias vendidas, ganhador de discos de ouro, platina e diamante. Branco Mello, Sérgio Britto e Tony Bellotto montaram um show afetivo e despojado, em que os três, munidos apenas de violões, piano, guitarra acústica e contrabaixo, recriam canções do “Titãs Acústico MTV” e acrescentam pérolas de seu repertório, como “Epitáfio”, “Isso”, “Enquanto Houver Sol”, “Porque Eu Sei Que é Amor”, “Toda Cor” e muitas outras. Mário Fabre e Beto Lee fazem participação especial e a direção é de Otávio Juliano.

Quanto: R$ 180 (inteira) e R$ 90 (meia), das filas A a W | R$ 150 (inteira) e R$ 75 (meia), das filas X a Z6 | R$ 120 (inteira) e R$ 60 (meia), das filas Z7 a Z11

Classificação indicativa: 16 anos

DIA 30, às 19h

CERIMÔNIA: ARATU 50+

“Aratu 50+” é o evento de comemoração dos 50 anos da TV Aratu. Os presentes poderão rever conteúdos e fatos que aconteceram no período de 1969 a 2019 através de exposição audiovisual no Foyer e materiais que serão relembrados na apresentação na Sala Principal, contando o legado dessa emissora que representa parte significativa da história da TV nordestina e brasileira. A música ficará a cargo do NEOJIBA e convidados.

Quanto: Evento para convidados

DIA 31

MÚSICA: JÃO – “ANTI-HERÓI”

Jão roda novamente o país, dessa vez com a turnê “Anti-herói”, que apresenta ao vivo em todo o Brasil o repertório de seu novo álbum, de mesmo nome. Nascido em Américo Brasiliense, no interior do estado de São Paulo, o cantor é considerado uma das grandes revelações da música brasileira e um dos nomes de maior sucesso do gênero pop no momento.

Quanto: R$ 120 (inteira) e R$ 60 (meia), das filas A a P | R$ 100 (inteira) e R$ 50 (meia), das filas Q a Z5 | R$ 80 (inteira) e R$ 40 (meia), das filas Z6 a Z11

Classificação indicativa: Livre

CONCHA ACÚSTICA DO TEATRO CASTRO ALVES

DIA 10, às 19h

MÚSICA: ADRIANA CALCANHOTTO

Apaixonada por Salvador e colecionadora de canções de sucesso, que integram o repertório afetivo de todos os brasileiros, Adriana Calcanhotto preparou um show exclusivo em que canta os maiores hits da sua carreira. No repertório, vários clássicos consagrados como “Inverno”, “Vambora”, “Esquadros”, “Maresia”, “Cariocas”, dentre outros.

Quanto: Arquibancada: R$ 60 (inteira) e R$ 30 (meia) | Camarote: R$ 120 (inteira) e R$ 60 (meia)

Desconto sobre a inteira: 40% para assinantes Clube Correio* e A Tarde+

Classificação indicativa: 16 anos

DIA 11, às 18h30

MÚSICA: “CONCHA NEGRA” – OLODUM

Em 2020, o projeto Concha Negra começa contando os 40 anos de história do Olodum. O espetáculo “Olodum 40 Anos: Samba-Reggae Original” marca o lançamento do EP “Olodum 40 anos”, com abertura do Bando de Teatro Olodum e participações especiais da cantora Ana Mametto e da banda Adão Negro. Em mais um espetáculo que exalta as riquezas e diversidades musicais afro-baianas, o Concha Negra recebe o movimento que nasceu em 1979, no Pelourinho, e segue perpassando várias gerações. O Olodum já circulou por 40 países, entoando o seu samba-reggae que enfatiza a promoção da cultura da paz, carinho com a matriz africana da civilização e trabalhos pelo desenvolvimento de uma mentalidade humana plural, que trabalha pela reeducação de mitos. O repertório promete relembrar grandes sucessos, como “Faraó”, “Deusa do Amor”, “Rosa”, “Avisa Lá” e “Protesto Olodum”. No palco, o grupo ainda vai apresentar ao público faixas inéditas, como “O Nome da Rosa”, “Minha Tez” e “Sereia”, além de uma releitura de “A Ver Navios”. O Concha Negra é uma iniciativa do Governo da Bahia que se compromete a fomentar a diversidade cultural da Bahia, suas tradições e patrimônios, garantindo o lugar da música afro-baiana na programação mensal da Concha Acústica do Complexo do TCA.

Quanto: Arquibancada: R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia)

Classificação indicativa: Livre

DIA 17, às 18h30

MÚSICA: MART’NÁLIA – ABERTURA: MAJUR

Mart’nália sempre interpretou músicas de Vinicius de Moraes, sua paixão, e decidiu gravar um CD com composições do “poetinha”. Ela apresenta o show com repertório baseado no álbum, vencedor do Grammy Latino 2019 na categoria melhor disco de samba. O espetáculo tem direção geral de Marcia Alvarez e Mart’nália, com luz assinada por Daniela Sanchez. Os arranjos são de Jorjão Barreto, que também participou do CD. A banda tem Mart’nália na voz e percussão, Jorjão Barreto no vocal e teclados, Humberto Mirabelli na guitarra e violão e guitarra, Rodrigo Villa no contrabaixo, Flavio Santos na bateria, Macaco Branco assume percussão, além de Analimar Ventapane no vocal. A noite com abertura da cantora Majur, que traz a diversidade presente no seu trabalho, em uma crescente carreira.

Quanto: Arquibancada: R$ 100 (inteira) e R$ 50 (meia) | Camarote: R$ 200 (inteira) e R$ 100 (meia)

Classificação indicativa: Livre

DIA 18, às 18h30

MÚSICA: “CONCHA NEGRA” – BACO EXU DO BLUES

Grande destaque da música nacional do momento, o baiano Baco Exu do Blues incrementa a vitalidade musical que passeia por toda a programação do Concha Negra. Contando com abertura da artista Nara Couto e do duo paulista DKVPZ, o espetáculo ainda traz como convidados nomes do selo independente 999: os rappers Celo Dut e Young Piva e o ator e músico Vírus, além do cantor Dactes. O repertório de “Baco na Concha” contempla músicas de “Bluesman”, disco lançado em 2018. Tão bem recebido quanto seu primeiro trabalho – “Esú”, este segundo álbum é base para o set list, com músicas já consagradas como “Me Desculpa, Jay-Z”, “Queima Minha Pele”, “Flamingos”, “Kanye West da Bahia” e “Minotauro de Borges”. Surgem também pitadas do novo disco em produção, “Bacanal”, gravado em outubro e com surpresas ainda não tocadas em Salvador. Revolta, amor, dor, deprê e muita autoestima estão no discurso cantado em coro em todo o país e ressoado pelo mundo. O Concha Negra é uma iniciativa do Governo da Bahia que se compromete a fomentar a diversidade cultural da Bahia, suas tradições e patrimônios, garantindo o lugar da música afro-baiana na programação mensal da Concha Acústica do Complexo do TCA.

Quanto: Arquibancada: R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia)

Classificação indicativa: Livre

DIA 19, às 19h

MÚSICA: ANAVITÓRIA – “O TEMPO É AGORA”

Desde que “nasceram” para o mainstream musical, em 2015, Anavitória se tornaram as queridinhas da cena folk MPB. Com melodia calma e acústica, o trabalho das artistas conquistou os brasileiros de norte a sul. Canções como “Fica”, “Trevo” e “Ai, amor” prometem embalar o público. Com mais de 2,5 milhões de inscritos no canal oficial do YouTube, seus vídeos ultrapassam 720 milhões de views. No Spotify, elas têm quase cinco milhões de plays mensais.

Quanto: Arquibancada: R$ 120 (inteira) e R$ 60 (meia) | Camarote: R$ 240 (inteira) e R$ 120 (meia)

Desconto sobre a inteira: 20% para assinantes Clube Correio*

Classificação indicativa: 16 anos

DIA 25, às 18h30

MÚSICA: “CONCHA NEGRA” – LAZZO MATUMBI

O cantor Lazzo Matumbi protagoniza o Concha Negra com o show “O Nosso Jeito de Ser”, em mais uma noite que celebra a musicalidade afro-baiana. Ele conta com as participações do grupo de rap Opanijé e da cantora Aiace como convidados. A abertura ficará a cargo do trio do Ministereo Público, levando os embalos da sonoridade jamaicana para o público. Para Lazzo, “O Nosso Jeito de Ser” é um baile dançante e cheio de suingue, com um repertório que traz grandes sucessos da carreira do cantor. Composições do baiano como “Me Abraça e Me Beija”, “Alegria da Cidade” e “Do Jeito Que Seu Nego Gosta” estão no set list. Lazzo Matumbi ainda levará ao palco músicas de nomes que são referências na sua própria trajetória artística. O espetáculo musical visa enaltecer, fortalecer e dar visibilidade às culturas negras. O Concha Negra é uma iniciativa do Governo da Bahia que se compromete a fomentar a diversidade cultural da Bahia, suas tradições e patrimônios, garantindo o lugar da música afro-baiana na programação mensal da Concha Acústica do Complexo do TCA.

Quanto: Arquibancada: R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia)

Classificação indicativa: Livre

DIA 26, às 19h

MÚSICA: VANESSA DA MATA – “Quando Deixamos Nossos Beijos na Esquina”

Fazendo a ponte entre regionalismo, vida urbana e o amor, Vanessa da Mata apresenta “Quando Deixamos Nossos Beijos na Esquina”, sétimo álbum de estúdio, com seus achados poéticos e melodias intuitivas. Vanessa se aventurou pela primeira vez como produtora musical, propondo arranjos diretamente aos músicos, criando a dinâmica sonora do álbum como captação de voz, mixagem, acentuando ou reduzindo as intenções dos instrumentos em função de cada canção. O repertório do show é composto pelo primeiro single lançado, a ensolarada “Só Você e Eu”, além de “Nossa Geração”, “Vá Com Deus”, “Dance Um Reggae Comigo”, “Tenha Dó de Mim” (part. Baco Exu do Blues), “Hoje Eu Sei”, “Quando Deixamos Nossos Beijos Na Esquina”, a faixa título, e muitas outras. Os grandes hits de Vanessa, que fizeram dessa cantora e compositora uma das maiores estrelas do mercado fonográfico brasileiro, também não ficam de fora, entre eles “Ai, Ai, Ai”, “Amado”, “Caixinha de Música”, “Gente Feliz”, “Boa Sorte/Good Luck”, “Não Me Deixe Só”, “Ainda Bem”, entre outras.

Quanto: Arquibancada: R$ 120 (inteira) e R$ 60 (meia) | Camarote: R$ 240 (inteira) e R$ 120 (meia)

Desconto sobre a inteira: 20% para assinantes Clube Correio*

Classificação indicativa: 16 anos

SALA DO CORO DO TEATRO CASTRO ALVES

PROGRAMAÇÃO EM PROCESSO DE FECHAMENTO

Resultante da ‘Convocatória para Ocupação de Pauta da Sala do Coro do TCA – 1º Semestre de 2020’, que definirá a programação do espaço no período de 14 de janeiro a 5 de julho deste ano.

ATRAÇÃO CONFIRMADA:

DIAS 15, 22 e 29 de janeiro, às 20h

DIA 5 de fevereiro, às 20h

TEATRO: OS PÁSSAROS DE COPACABANA

A partir das canções de Ary Barroso, a peça – escrita e dirigida por Gil Vicente Tavares – conta a história de uma travesti, às vésperas do Golpe de 1964, tentando fazer um espetáculo em homenagem ao compositor, por encomenda de seu amante militar. Em cena, Marcelo Praddo interpreta clássicos de Ary e canções menos conhecidas, intercalando com depoimentos e lembranças da vida da personagem. A partir dos seus relatos, a peça vai revelando sentimentos e segredos dessa travesti em meio ao período conturbado do Brasil e a sua luta diária contra o preconceito e a marginalização de sua condição na sociedade brasileira daquela época. As canções são executadas ao vivo, com o acompanhamento do multi-instrumentista Elinaldo Nascimento, materializando os belos arranjos do diretor musical Jarbas Bitencourt. Tocando piano, acordeom ou guitarra, o músico dialoga com o personagem através das canções de Ary Barroso. Com iluminação de Eduardo Tudella, cenário e figurinos de Euro Pires, a equipe conta ainda com a direção de movimento de Bárbara Barbará e a maquiagem de Anna Oliveira. O espetáculo é parte do repertório do Grupo Teatro NU e venceu o Prêmio Braskem de Teatro 2017 nas categorias melhor ator (Marcelo Praddo) e melhor diretor (Gil Vicente Tavares).

Quanto: R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia)

Classificação indicativa: Livre

BALÉ TEATRO CASTRO ALVES (BTCA)

BTCA EM OUTROS PALCOS

DIA 31, às 18h30

BTCA – Pôr do Sol

Apresentação de solos, com informações a divulgar.

Onde: Museu de Arte Moderna da Bahia

Quanto: Gratuito

AULAS PÚBLICAS

Local: Sala de Ensaio do Piso C, Ala A do TCA

Para nível intermediário/avançado. Aberto a ouvintes.

Pilates: 20, 22, 27 e 29 de janeiro, 13h15 às 14h30

Balé Clássico: 21, 23, 28 e 30 de janeiro, 13h15 às 14h30

Danças afro-brasileiras: 24 e 31 de janeiro, 13h15 às 14h30

Quanto: Gratuito

ORQUESTRA SINFÔNICA DA BAHIA (OSBA)

OSBA EM OUTROS PALCOS

DIAS 10 e 11, das 17h às 22h

VERÃO DA OSBA + OSBALADA

O mês de janeiro é um período de férias para muitas orquestras do Brasil. Indo de encontro a essa praxe, a Orquestra Sinfônica da Bahia se prepara para estar na ativa e marcar presença no verão soteropolitano levando música gratuita para o Centro Histórico de Salvador. No “Verão da OSBA”, a programação começa com apresentações de Grupos de Câmara – Quinteto de Metais (dia 10) e Quarteto de Cordas (dia 11) –, das 17h às 18h, seguidas de concertos que misturam música clássica e popular, das 18h30 às 20h, até se estender à “OSBALADA”, festa com DJ e intervenções de músicos da orquestra, a partir das 20h30.

Onde: Praça das Artes – Pelourinho

Quanto: Gratuito

ENSAIOS ABERTOS

DIAS 6 e 7, às 10h: Quarteto de Cordas

Onde: Sala de Ensaio da OSBA, Piso C do TCA

DIAS 6 e 7, às 10h: Quinteto de Metais

Onde: Sala de Naipe 3, Piso B do TCA

DIAS 8 e 9, às 10h e às 19h: Orquestra

Onde: Sala de Ensaio da OSBA, Piso C do TCA

Quanto: Gratuito (sujeito à lotação do espaço e a chegada antes do início da atividade)

CAMERATAS DA OSBA – APRESENTAÇÕES GRATUITAS

CAMERATA OPUS LUMEN

Apresentações

8/1, 16h: Casa da Cultura do Idoso – Largo Quincas Berro d’Água (Pelourinho)

9/1, 16h: Palácio Rio Branco

Ensaios abertos

8/1, 8h30: Sala de Naipe, Piso B do Teatro Castro Alves

9/1, 8h30: Sala de Naipe, Piso B do Teatro Castro Alves

CAMERATA BAHIA CORDAS

Apresentações

6/1, 14h30: CAPS Garcia

7/1, 18h: Palacete das Artes

Ensaios abertos

6/1, 11h: Sala de Naipe, Piso B do Teatro Castro Alves

7/1, 16h: Sala de Naipe, Piso B do Teatro Castro Alves

CAMERATA QUADRO SOLAR

Apresentações

7/1, 16h: Centro de Culturas Populares e Identitárias (Pelourinho)

9/1, 18h: Museu Carlos Costa Pinto

Ensaios abertos

7/1, 14h: Sala de Naipe, Piso B do Teatro Castro Alves

8/1, 8h30: Sala de Naipe, Piso B do Teatro Castro Alves

CAMERATA QUARTETO NOVO

Apresentações

6/1, 16h: Associação Casa de Caridades Adolfo Bezerra de Menezes – ACCABEM (Lauro de Freitas)

7/1, 16h30: Museu Geológico da Bahia (Projeto Terças Musicais)

Ensaios abertos

6/1, 14h: Sala de Naipe, Piso B do Teatro Castro Alves

7/1, 14h30: Sala de Naipe, Piso B do Teatro Castro Alves

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *