41ª Noite da Beleza Negra elege a nova Rainha do mais antigo bloco afro da Bahia

Em clima de comemoração e denúncia, a 41ª Noite da Beleza Negra elegeu a nova Rainha do mais antigo bloco afro da Bahia

Respeito, alegria, representatividade, identidade e autoafirmação são os valores que guiarão Gleiciele Teixeira Oliveira, 22 anos, no seu reinado no Ilê Aiyê. Eleita Deusa do Ébano na madrugada deste domingo (9), em sua segunda participação no concurso, a modelo e dançarina, que havia conquistado o terceiro lugar no ano passado, dedicou-se durante 12 meses para conquistar o topo do concurso em 2020.

“Em 2019 aprendi que uma Deusa precisa ter leveza e delicadeza. Estudei muito sobre a história do Ilê e me dediquei à dança. Assim que acabou o concurso me matriculei nas aulas de Dança Afro da Funceb (Fundação Cultural do Estado da Bahia) e me preparei o ano inteiro para esta noite”, conta Gleiciele.

Foto: Andre Frutuoso / Odu Comunicação

Moradora do Curuzu, Gleiciele recebeu o incentivo da mãe para participar do concurso desde criança. “Ela cantava as músicas do Ilê para mim e dizia que eu seria a Deusa do Ébano um dia”, conta. A primeira vez que ela saiu com o Ilê no Carnaval foi determinante para ter certeza do que queria. “Foi como se eu me reconhecesse ali dentro e o desejo de ser Deusa cresceu em mim”, revela.. Ao lado de Gleiciele, também foram eleitas as princesas. No segundo lugar, ficou a carioca Sabrina Sant’ Ana dos Santos, 31 anos, e no terceiro lugar a estudante de nutrição Núbia Ferreira, 19 anos. Ambas participavam pela primeira vez do concurso e receberam o Troféu Perfil Azeviche.

Com direção geral de Elísio Lopes Jr, a noite – das mais concorridas do verão baiano -, trouxe ao palco da Senzala do Barro Preto vozes femininas para lembrar que haverá sempre o que celebrar. O evento contou com participação de Daniela Mercury, Nara Couto e o show “Encontro de Poder”, com Graça Onasilê, Marcia Short e Patricia Gomes, ao lado da anfitriã Band’Aiyê. Mas também levantou a bandeira da denuncia, trazendo à tona casos recorrentes na mídia que envolvem a realidade da mulher negra, levando para o palco o que está acontecendo nas ruas, o que rendeu momentos de comoção de toda plateia.

Foto: Andre Frutuoso / Odu Comunicação

A 41ª Noite da Beleza Negra é uma realização do bloco Ilê Aiyê e Caderno 2 Marketing e Produções, com patrocínios da Avon e do Governo do Estado, através do Fazcultura, Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura do Estado da Bahia, e da Bahiagás, com apoio da Saltur e Secretaria de Trabalho, Esporte e Lazer da Prefeitura Municipal de Salvador. A produção é assinada pela Benvindo Produções.

1º Gleiciele Teixeira Oliveira

Idade: 22

Bairro: Curuzu – Salvador (BA)

Ocupação: Modelo e Dançarina

Trajetória no concurso: segunda vez

O que significa tornar-se Deusa do Ébano? Mais que um título, significa autoafirmação, ancestralidade identidade. É a luta para nós ganharmos mais espaço e mostrar a nossa beleza, ainda pouco valorizada. Esse concurso nos incentiva a nos enxergar como belas, levando essa autoestima nossas crianças e outras mulheres.

2º Sabrina Sant’Ana dos Santos

Idade: 31

Bairro: Alto da Boa Vista – Rio de Janeiro (RJ)

Ocupação: Cantora e Bailarina

Trajetória no concurso: primeira vez

3º Núbia Ferreira

Idade: 19

Bairro: Liberdade – Salvador (BA)

Ocupação: Atriz e estudante de Nutrição

Trajetória no concurso: primeira vez

Crédito das fotos: André Frutuôso / Odú Comunicação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *