Ilê Aiyê desfila sua beleza única no Carnaval 2020

Com tema “Botswana: Uma História de êxito no mundo”, entidade inicia festa com tradicional saída do Curuzu e sai sem cordas terça-feira (25) no Circuito Osmar

Foto: André Frutuoso

Reconhecido pela ONU como um caso verdadeiro de sucesso em termos de progresso humano e econômico, o país africano Botswana é a inspiração para o desfile do bloco afro mais antigo do Brasil, o Ilê Aiyê, no Carnaval 2020. Com o tema Botswana: Uma História de êxito no mundo”, o mais belo dos belos ganha as avenidas, desta vez com o ineditismo de desfilar sem cordas, no Circuito Osmar, na terça-feira de Carnaval (25), como parte da programação da Prefeitura de Salvador.

“Botswana é um país de êxito, pequeno, emergente, sem taxa de analfabetismo nem casos de corrupção. Pelo fato de trabalharmos com Carnaval, mas também com educação, a história deles sempre foi acompanhada por nós e esse ano entra como nosso tema”, comenta o presidente do Ilê Aiyê, Antônio Carlos Vovô.

Por aqui, a dificuldade de custear o bloco levou o Ilê Aiyê à decisão de desfilar apenas dois dias com seus associados no Carnaval 2020. O anúncio foi feito por Vovô durante a festa ano passado. Pela primeira vez na sua história, a entidade deixa de sair com a sua estrutura de bloco na terça-feira de Carnaval, chamando o público se integrar ao seu desfile sem cordas, no circuito Campo Grande, no último dia da folia momesca.

Fora essa mudança, o bloco segue seu festejado ritual carnavalesco e inicia sua passagem pelo Carnaval 2020 com o tradicional cortejo no sábado (22), a partir das 20h. A famosa “Saída do Ilê”, no Curuzu, todos os anos reúne um público numeroso, além de políticos e personalidades, para a cerimônia religiosa presidida pela mãe de santo Hildelice Benta, ialorixá do Terreiro Ilê Axé Jitolu.

Uma vez tendo seus caminhos abençoados, o trio do bloco Ilê Aiyê segue em festa do Curuzu para o Plano Inclinado da Liberdade. De lá, os associados fazem uma pausa até se encontrarem novamente horas depois no Corredor da Vitória, onde a entidade inicia o seu primeiro desfile em circuito oficial, Osmar, às 2h da madrugada do domingo (23), em direção à Praça da Piedade.

Na segunda (24) o Ilê Aiyê volta a levar o seu espetáculo cênico-musical para o circuito Osmar. Comandado pelo som marcante da Band’Aiyê, o bloco sai acompanhado de um cortejo comemorativo ao tema do Carnaval com destaque o carro que se transforma em um verdadeiro altar para a recém eleita Deusa do Ébano 2020, Gleicy Ellen. Este ano, mais uma vez, a Deusa faz os percursos acompanhada das princesas, Sabrina Sant’Ana dos Santos (2º lugar) e Núbia Ferreira (3º lugar).

A ala de canto do Ilê Aiyê é formada pelos vocalistas Jauncy Oju Bará, Iracema Killianne, Iana Marucha e Juarez Mesquita, que se revezam nos dias de desfile. Neste Carnaval, o cantor Caboclinho, do grupo Movimento, é o convidado do Ilê para integrar os vocais. Cada qual com seu estilo próprio de cantar, eles garantirão a animação do bloco, acompanhados pelos 60 músicos que compõem ala de percussão da luxuosa Band’Aiyê.

SERVIÇO:

1º Dia – 22/02/20 (Sábado)

Circuito Mãe Hilda.

Primeiro desfile: Concentração no Curuzu (20h às 21h), seguindo até Plano Inclinado da Liberdade.

Segundo desfile: a partir de 2h da madrugada de domingo (23/02), saindo da Vitória  em direção a Piedade.

2º Dia – 24/02/20 (Segunda)

Circuito Osmar

Concentração às 18h na Araújo Pinho (Canela)

Saída prevista: 19h

3º Dia – 25/02/20 (Terça-feira)

Circuito Osmar

Desfile sem cordas

Horário: 19h

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *